LUBRIFICANTES (óleos)

Tipos de Lubrificantes  

Lubrificantes são classificados de acordo com a fonte (origem) podem ser: animal, vegetal petróleo, mineral ou sintético.

  • Óleos animais não são bons lubrificantes para máquinas de combustão interna, eles formam ácidos gordurosos que causam corrosão quando expostos a altas temperaturas.
  • Óleos vegetais têm boas qualidades lubrificantes, mas sua estrutura química se altera após longos períodos de operação em motores de combustão interna.
  • Lubrificantes de base mineral normalmente são divididos em três grupos: sólidos, semissólidos e líquidos.
  • Óleos a base de petróleo eram usados nos primeiros motores a jato. São usados ainda para aplicação em temperaturas extremamente baixas. Tem ainda os óleos usados para preservação de linhas de combustível, quando os motores vão ficar longos períodos sem atividade (long time preservation).


Os tipos de lubrificantes usados nos motores hoje são diferentes dos lubrificantes usados no passado. Assim como foram produzidos motores (turbinas) a jato com maior capacidade, para que as aeronaves possam voar mais alto. A operação de turbinas a jato em altitudes mais elevadas, mais frias e temperaturas internas do motor maiores, gerou maiores demandas de lubrificação e consequentemente novos tipos de óleos. Os sintéticos, por exemplo, podem resistir a temperaturas bem mais elevadas. Os óleos da especificação militar MIL-PRF-7808 foram os primeiros óleos sintéticos desenvolvidos para atender estas demandas. Hoje, a maioria das turbinas a jato usam óleos sintéticos, baseado na especificação MIL-PRF-23699.

Óleos sintéticos estão baseados em ácidos e outras substâncias químicas; então, eles não são compatíveis com os óleos de base mineral ou óleos a base de petróleo, e mesmo entre os óleos sintéticos deve-se ter cuidado na mistura, pois existem óleos que não são totalmente compatíveis devido aos aditivos adicionados aos mesmos. 


FUNÇÕES DE ÓLEOS das turbinas A JATO  


Os óleos Lubrificantes devem executar três funções básicas em uma turbina a jato: (1) lubrificação, (2) resfriamento e (3) limpeza.  

1. LUBRIFICAÇÃO

  • O óleo deve ter baixa viscosidade, suficiente para fluir rapidamente entre as partes, mas também viscosidade alta o suficiente para prevenir contato de metal com metal; 
  • Não deve “quebrar” sob altas temperaturas e pressões;  
  • Tem que ter ponto de fluidez suficiente para arrancar sob temperaturas extremamente baixas.  
  • Deve ter um alto ponto de fulgor, assim não queima ou vaporiza sob calor intenso;  
  • Não deve formar e/ou depositar carbono, verniz ou gordura em quantidades excessivas.  

2. RESFRIAMENTO

Óleo lubrificante têm que esfriar partes móveis, levando o calor para longe de engrenagens e rolamentos. Esta é uma função importante pois as turbinas possuem muitas partes localizadas próximas a queimadores ou discos de turbina onde as temperaturas são maiores que 900°C. Lubrificantes líquidos esfriam bombeando ou borrifando óleo ao redor de rolamentos e/ou engrenagens. O óleo absorve o calor e depois dissipa-o nos radiadores.


3. LIMPEZA

Outra função principal do óleo lubrificante é a limpeza. Ele leva a sujeira, carbonização, pequenas partículas de metal, gordura e verniz aos filtros. Esta função tem adquirido crescentemente importância com taxas de compressão mais altas, condições mais exigentes de aceleração do motor, temperaturas operacionais mais elevadas e tolerâncias menores entre peças das turbinas.  

Related posts